Pesquisa indica que jovens estão menos interessados em peitos

Parece que a geração Y tem outras preferências

jovens desinteressados em peitos

Peitos, peitos. Tem alguém que não gosta deles? São macios, vem em pares e nunca existem dois iguais. Essas duplas são partes do corpo feminino que ganham muita atenção e muita admiração. Mas, um estudo recente aponta que, talvez, o interesse por essas belezas está um pouco menor para os Millennials.

Como assim? Calma, calma. Não é que os jovens adultos desgostem completamente ou tenham alguma aversão por seios. Longe disso. O que acontece, segundo uma pesquisa realizada pelo Pornhub, é o seguinte: o pessoal da geração do milênio se mostra menos propensa a buscar por peitos.

O site de vídeos pornôs se juntou ao Mashable para realizar esse levantamento sobre os tão queridos gêmeos. Bom, o que eles fizeram foi descobrir os hábitos de pesquisa dos usuários quanto às buscas feitas por peitos. Afinal, é importante saber os gostos da galera quando se trata desse amado par feminino.

A começar, o primeiro resultado indicou que as buscas mais feitas dentro do assunto — no total, sem importar a idade — são “big tits”, seguida por “big boobs” e “huge tits”. Ou seja, parece que nesse caso tamanho é documento, em geral. Outro ponto a se notar é que logo em seguida a esse pódio, a busca mais feita é por peitões naturais (“big natural boobs”).

Já as siliconadas acabam ficando meio de lado nas pesquisas feitas pelos usuários. Isso porque o termo de pesquisa “fake breast”, apesar de ser o mais procurado para quem quer ver uma dupla que não veio de fábrica, não está nem entre os 25 mais buscados dentro do tema.

Entretanto, trazendo de volta a questão dos millennials, vamos entender de onde saiu a afirmação do suposto desinteresse. Bom, vamos lá. As pessoas de 18 a 24 anos de idade buscam por “boobs”, “tits” ou “breasts” (as palavras principais para a comissão de frente) com 19% a menos de frequência do que um usuário padrão do Pornhub.

Enquanto isso, o público que está entre os 25 e os 34 anos também se comportam de maneira parecida. A busca por essas palavras é 11% menos comum do que o comum dentro do site.

Algo que é exatamente oposto ao que ocorre entre os mais velhos. Isso porque quem tem entre 55 e 64 anos é mais propenso em 17% a pesquisar por peitos. A galera mais experiente parece que não deixa de ir atrás dos tradicionais peitões.

Mas, será que isso significa mesmo que os millennials não gostam de peitos, então? Os resultados parecem conclusivos, mas podem ser bastante relativizados.

Isso porque, a geração da internet, talvez por já ser tão acostumada com ela, tem hábitos de pesquisa apenas diferentes. Peitos são um certo tipo de commodity quando se trata de entretenimento adulto. Eles estarão ali para quem quiser ver. Sendo assim, a busca dessa fatia de público se pauta mais em outros nichos e acaba utilizando termos diferentes.

O cara pode até estar a fim de ver belos seios, mas isso fica implícito na busca quando ele coloca outras palavras na pesquisa, como “lésbicas”, “anal” ou “strip-tease”, por exemplo. Afinal, é difícil de aceitar que alguém não goste disso: